Com a greve dos servidores públicos e médicos peritos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) superando os 30 dias, segurados de todo o país encontram dificuldades para utilização de serviços e realização de perícias, aumentando ainda mais as filas de atendimento.

          A cidade de Divinópolis (Minas Gerais) é um exemplo desta situação, pois a greve tem prejudicado ainda mais as pessoas que aguardam pela perícia médica para adquirir os benefícios nos casos de afastamento.

          De acordo com dados do Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social, Saúde, Previdência, Trabalho e Assistência Social em Minas Gerais (Sintsprev-MG), aproximadamente 70% dos médicos aderiram à greve. A cidade possui 7 peritos, sendo que dois encontram-se afastados, quatro aderiram à greve e apenas um está trabalhando.

          Movimentos semelhantes em todo o Brasil fazem com que as filas de agendamentos para perícia superem os números de 762 mil, gerando uma sobrecarga nos serviços previdenciários.

          Mas qual o motivo desta paralisação? Os servidores públicos reivindicam reajustes nos salários, que se encontram defasados pela inflação, aumento de benefícios e ajuste no plano de cargo/carreira.

          A greve deu início ao fim do mês de março e ainda não há acordo com o Governo Federal sobre possíveis modificações. Portanto, apesar de alguns locais estarem amenizando após este longo período de greve, não há um tempo determinado para volta dos servidores e regularização da situação das filas de espera.

          Atualmente, as filas para um reposta do INSS têm durado mais de 66 dias, sendo que, por lei, a Previdência Social deve em no máximo 45 realizar um retorno ao trabalhador sobre o benefício.

          Esta situação afeta drasticamente as pessoas que precisam se afastar do trabalho após algum acidente ou doença e esperam a colaboração do auxílio que lhe é de direito. Sendo assim, ao não adquirir resposta, acabam também recorrendo à Justiça, que por sua vez, também se encontra com demora nos processos e sobrecarga de serviços.

          Contudo, nos últimos dias como resposta a essa situação, o Governo Federal implementou a Medica Provisória (MP) 1113/22, com a intenção de justamente aliviar as filas de agendamento e dessobrecarregar o sistema.

          Com essa MP, os trabalhadores e segurados poderão utilizar exames e laudos terceirizados para comprovar a necessidade dos seguintes benefícios: auxílio-acidente, auxílio por incapacidade temporária (antigo auxílio-doença) e aposentadoria por incapacidade permanente (aposentadoria por invalidez).

          O problema talvez seja que a MP não resolve a raiz da questão, apenas tarda o problema que pode novamente paralisar os atendimentos da previdência. Mas, apesar de tudo, a situação crítica pede ao menos uma resolução rápida e que colabore com todos.

          Uma solução que sempre vem colaborando com os segurados é o uso da plataforma digital Meu INSS. Com ela, assuntos menos complexos podem ser resolvidos rapidamente e sem ao menos sair de casa.

          São diversos serviços disponíveis que nos ajudam a tirar dúvidas e solucionar questões mais simples sem nos preocuparmos com os acontecimentos atuais. Então, a dica é sempre buscar utilizar essa ferramenta e também a central de atendimento número 135.

          Por fim, quer saber mais sobre as últimas notícias relacionadas à previdência social? Nós da Solução Crédito Online estamos sempre aqui para colaborar contigo e te manter bem informado. Então, continue com a gente.