De acordo com as últimas notícias compartilhadas, o Presidente Jair Bolsonaro teria aceitado um novo aumento da margem consignável de 5%, retornado aos patamares da margem consignável do ano de 2021.

Não é possível saber a veracidade de tal boato, contudo há uma grande chance de que isso ocorra ainda neste primeiro semestre, pois há parlamentares que buscam desde os últimos anos manter a margem consignável em 40%, colaborando com milhões de brasileiros, uma vez que o empréstimo consignado favorece não apenas funcionários públicos, mas também: militares das forças armadas, aposentados e pensionistas, além de funcionários em regime CLT no qual empresas possuem contrato com instituições bancárias.

A margem consignável se trata do valor máximo que pode ser comprometido do salário do credor sobre as mensalidades do empréstimo, sendo assim, aumentá-la é oferecer à população a oportunidade de emprestar maiores valores e pagá-los de forma mais rápida.

Vale lembrar que atualmente a margem consignável encontra-se em 35%, sendo 5% destinado ao cartão de crédito consignado, porém, até o fim de 2021, a margem encontrava-se em 40%.

O retorno de 5% dessa taxa não é algo tão mínimo como parece, pois, ao baixar a margem consignável diversos aposentados e pensionistas que já haviam efetuado algum empréstimo e programavam-se para um próximo, foram impossibilitados por conta dos valores reduzidos.

O Senador o qual teria sido responsável pelo envio do pedido do acréscimo da margem consignável foi Luis Carlos Heinze. O Presidente havia recebido o ofício e encaminhado para sua assessoria realizar os devidos procedimentos para retornar a taxa o mais rápido possível ao que era antes, porém, sabemos que há todo um processo no Congresso Nacional para que isso ocorra e, talvez, não seja algo tão rápido.

A fala do Senador nas redes sociais fortalece a notícia, pois o mesmo expressou: “Com a permanência da crise e do elevado grau de endividamento das famílias, reforcei ao presidente para que conceda mais 12 meses para esse benefício”.

Esta medida é importante, pois, caso os segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e demais profissionais não puderem realizar o empréstimo consignado, acabarão por escolher opções em que a taxa de juros se encontra exorbitante, ou seja, endividando-se ainda mais.

O empréstimo consignado, diferentemente de outras linhas de crédito, como por exemplo: cheque especial, empréstimo pessoal e afins, destaca-se por conter as menores taxas de juros existentes, inclusive nessa época em que a Selic se encontra nos patamares de 9%, o crédito consignado ainda continua atrativo.

Isso ocorre pois o empréstimo consignado é a linha de crédito mais segura às instituições bancárias com relação ao risco de inadimplência, pois os valores de pagamento mensal são debitados automaticamente do benefício e salário dos solicitantes, de tal forma, os bancos conseguem oferecer menores taxas de juros ao consumidor.

Por fim, esperamos que esta possibilidade do aumento da margem consignável realmente ocorra e venha a favorecer todos nós.

Até lá, A Solução Crédito Online oferece a você, leitor, as melhores oportunidades de empréstimo consignado, empréstimo FGTS e crédito com garantia. Todas essas modalidades de crédito podem ser simuladas em nossa plataforma de forma prévia e há total transparência quanto aos valores emprestados e pagos ao fim.

Acesse nossa plataforma e conheça mais a possibilidade de contratar uma linha de crédito no conforto de sua casa, sem transtornos ou dificuldades, contendo totalmente segurança, a qual é garantida tanto por nossa equipe, quanto pela instituição bancária responsável pelo empréstimo. Aguardamos por você!