O preço dos produtos aumenta e aumenta cada vez mais. O poder de compra do brasileiro, por outro lado, se vê reduzido por conta do aumento da inflação, a qual ocorre em vistas às diversas crises em que o mundo e nosso país se encontram.

         Diante da realidade do aumento de preços, o governo federal, anualmente, realiza o reajuste do salário mínimo, para que o salário de milhões de brasileiros consiga acompanhar a alta dos preços. Todavia, o reajuste para 2022 já havia sido realizado. A questão é que a previsão do Banco Central era de que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) estaria nos patamares de 6,2%, entretanto, a taxa está estimada até o fim de 2021 para atingir 8,4%.

         O valor de reajuste efetuado anteriormente era de R$ 1.147,00, porém, caso coloquemos em primeiro plano o aumento mais do que estimado da taxa IPCA, o correto do reajuste seria saltar para o valor de R$ 1.192,00.

         Ainda não há uma decisão quanto ao novo número para o reajuste, mas vale ressaltar que, por lei, o salário mínimo deve acompanhar e cobrir a inflação do ano anterior, pois esta seria a única medida de proteção ao consumidor e, consequentemente, à economia como um todo. Apesar desta realidade, o Governo atual não tem utilizado a taxa IPCA para o reajuste e, sim, o Índice Nacional de Preços ao Mercado (INPC). De tal forma, a escalada dos valores é menor do que a apresentada pelo IPCA, então, talvez, haja a possibilidade de os valores não atingirem as perspectivas necessárias.

         A questão do reajuste está em pauta e possivelmente estaremos cientes de novos números nas próximas semanas, uma vez que a nova previsão fora anunciada pela Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia.

         Caso haja a correção, os segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) também serão beneficiados, uma vez que a tendência é de que o piso (mínimo) salarial do INSS acompanhe o salário mínimo. Em contrapartida, pessoas que também recebem acima do piso salarial e até mesmo o teto (máximo) do INSS, também contarão com os reajustes.

         De acordo com dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) que realiza estudos mensais sobre gastos de subsistência da família brasileira, entende-se que o salário mínimo deveria ser ao menos 5 vezes maior do que o atual, com o valor de R$ 5.583,90. O estudo não é utilizado como determinação do reajuste, mas leva os cidadãos brasileiros a refletir sobre a realidade da discrepância de valores existentes. Em setembro, o estudo demonstrou que o maior preço encontrado de cestas básicas foi de R$ 673,45, encontrado em São Paulo, sendo um exemplo da difícil realidade vivida por milhares de pessoas.

         Contudo, sabemos que o aumento do salário mínimo é de pouca influência no contexto geral, principalmente para nós que buscamos alcançar diversos objetivos de vida ou mesmo realizar situações mais quotidianas, para tanto, a Solução Crédito Online pode te ajudar com esta possibilidade.

         Em nossa plataforma, você, caro leitor, pode simular seu empréstimo consignado ou empréstimo FGTS (adiantamento do saque aniversário), com valores que se enquadram no seu perfil de consumidor. Com transparência, você conseguirá descobrir as melhores instituições, com menos taxas de juros e saber exatamente o valor final a ser pago. Vale ressaltar ainda que o contrato do empréstimo pode ser efetuado de forma 100% online, no conforto de seu lar, e com segurança afirmada pela nossa plataforma e as instituições bancárias parceiras. Acesse e venha nos conhecer um pouco mais.