Sabemos que é complicado e até mesmo frustrante aguardar o tempo de respostas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) quanto ao nosso benefício, porém, esta demora ocorre muitas vezes por conta da alta demanda de pedidos que o instituto possui e, também, pela falta de documentos enviados por nós, deixando a solicitação em estado de espera. Portanto, vamos hoje saber como tentar destravar e obter uma resposta mais agilizada do INSS.

O INSS tem levado meses para comunicar aos beneficiários as mudanças ocorridas e também tem demorado a mesma quantidade de tempo para efetuar novos serviços previdenciários. Apesar da modernização dos sistemas, desde a reforma da previdência o Instituto tem tardado a realizar, adequar as modificações existentes e repassá-las aos seus beneficiários.

De acordo com as notícias, justamente por este fato de não conseguir reduzir os prazos fora que o ex-presidente do INSS Leonardo Rolim foi demitido do cargo.

De maneira geral, o Instituto possui o prazo máximo de 75 dias para resposta, porém, aos usuários do sistema previdenciários, sabemos que o prazo tem se estendido muito mais. Apesar da demora, existem algumas coisas que podemos fazer para tornar o processo mais ágil.

Um dos principais fatores que travam os pedidos e solicitações é a falta de documentação necessária para atingir o benefício ou demais solicitações. Como no caso de solicitação de aposentadoria, os documentos que podem prejudicar o requerimento são:

1. Carteira de trabalho (CTPS), sendo necessário o envio do documento original para comprovação;

2. Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP), no qual o trabalhador deve requisitar à empresa que trabalhou o documento original, comprovando que fora exposto a agentes nocivos e/ou ruídos altos;

3. Extrato do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que será utilizado para comprovação do tempo de serviço. Deve ser requisitado na Caixa Econômica Federal e assinado pelo funcionário público;

4. Comprovante de Pagamento do GPS (guias atrasadas), a fim de comprovar que a contribuição junto ao INSS está em dia no caso de pagamentos que ficaram em aberto. Trabalhadores autônomos devem levar esta documentação.

5. Registro Nacional de Estrangeiros, utilizado por brasileiros que trabalharam no exterior e necessitam comprovar o tempo de serviço;

6. Comprovante de pagamentos.

Estes documentos são os principais que tendem a deixar a solicitação de aposentadoria estagnada, portanto, se você se enquadra em algum desses, não se esqueça de reavaliar e tomar a devida atenção.

Além do mais, é possível realizar o processo de solicitação de aposentadoria e envio dos documentos de forma totalmente online, para tanto, basta utilizar a plataforma Meu INSS, que pode ser acessada por site ou usada por meio do aplicativo, disponível para Android e IOS.

Uma vez possuindo o cadastro na plataforma, basta encontrar no menu a opção “solicitar aposentadoria” e realizar o procedimento com os seguintes documentos: RG ou CPF, carteira de trabalho, comprovante de residência, requerimento por escrito e documento que comprove o tempo de serviço. Estes são os documentos básicos, portanto, não se esqueça das opções ditas acima que se enquadram na sua vivência e na sua jornada de trabalho.

Você conhecia essa opção? Não deixe de acompanhar a Solução Crédito Online para mais informações referentes ao mundo previdenciário e à sua saúde financeira.