Diferentemente dos trabalhadores que possuem carteira de trabalho assinada e, de tal forma, a contribuição ao INSS é realizada diretamente na folha de pagamento, a Guia da Previdência Social (GPS) é o modo em que demais trabalhadores autônomos, facultativos, empregados domésticos, segurado especial e contribuintes individuais, no geral, e empresas utilizam para efetuar a contribuição ao INSS.

GPS, portanto, é o documento responsável pelo recolhimento do valor dos direitos trabalhistas que deve ser destinado ao INSS a fim de assegurar, posteriormente, sua aposentadoria e qualquer outro benefício previdenciário ao qual, seja a pessoa de natureza física ou jurídica, terá direito.

Preencher a Guia da Previdência social é simples, porém encontra-se como uma dúvida comum dentre os usuários, sendo assim, vale relembrar como devemos preenche-la em poucos passos: 1. Preencher com nome (físico) ou razão social (jurídico); 2. Data de vencimento (até dia 15 do mês); 3. Código de pagamento (referente ao modelo de pagamento existente – débito, MEI, pessoa física, jurídica e afins); 4. Competência (referente ao mês do pagamento); 5. Identificador (número de cadastro no INSS); e, 6. Valor da contribuição.

No caso do Código de pagamento, alguns dos mais utilizados são: 1007 - Contribuinte Individual – Recolhimento Mensal – NIT/PIS/PASEP; 1066 (MEI – Contribuinte Individual – Recolhimento Mensal – CPF – DAS/MEI/DARF); 1120 (Contribuinte Individual – Recolhimento Mensal – Com dedução de 45 %, Lei nº 9.876/99) – NIT/PIS/PASEP; e 1201 (GRC Trabalhador Pessoa Física, Contribuinte Individual, Facultativo, Empregado Doméstico, Segurado Especial) – DEBCAD (Preenchimento exclusivo pela Previdência Social).

Ademais, existem algumas modalidades de GPS, sendo assim, falaremos um pouco sobre cada uma:

1. GPS Eletrônica: o trabalhador deve ir até à agência responsável pelo recebimento de seu salário e cadastrar seus dados, senha e assinatura eletrônica para que o valor referente à contribuição seja debitado automaticamente de sua conta.

2. GPS Casas Lotéricas: As casas lotéricas são uma vantagem por funcionarem em períodos a mais do que demais instituições bancárias, entretanto, o valor máximo que pode ser efetuado é de R$ 1.000,00.

3. GPS pela Internet: O pagamento pode ser efetuado pelo internet banking no qual se possua conta, sendo uma modalidade de âmbito digital que está crescendo cada dia mais no cotidiano do cidadão brasileiro.

4. GPS Débito em conta: Basta cadastrar antecipadamente na instituição bancária no qual possui conta e autorizar para que seja agendado o débito automático do valor de contribuição assim que a data postulada seja atingida. De tal forma, o processo ocorrerá mensalmente e automático.

5. GPS pelo Caixa Eletrônico: Por meio do cartão magnético e senha de sua conta, o pagamento também poderá ser feito pelos caixas eletrônicos na instituição de origem do recebimento de seu benefício

6. GPS Digital: Nesta modalidade, a que tem ganho grande destaque nos dias atuais, o trabalhador pode efetuar o pagamento pelo site do Meu INSS ou pelo aplicativo. Para tanto, deve-se seguir alguns passos: 1. Fazer login na página inicial do Meu INSS (caso não ainda não tenha realizado cadastro, basta acessar o seguinte artigo: Guia de utilização Meu INSS); 2. Procure na plataforma por GPS; 3. Após redirecionamento à Receita Federal, preencha os campos disponíveis com suas informações pessoais e confirme seus dados; 4. Preencha o formulário e baixe o arquivo em seu computador ou celular e, por fim; 5. Realize o pagamento.

Simples, não é mesmo? Para acompanhar e conhecer demais notícias referentes ao INSS e outras questões financeiras, navegue em nosso blog Solução Crédito Online e leia outros artigos que com certeza irão te ajudar, caro leitor.