Caro leitor, sabemos que funcionários públicos, além dos aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) possuem a vantagem da margem consignável, ou seja, a realização de uma modalidade que possibilita o débito de até 30% do salário nos pagamentos mensais do empréstimo consignado, debitado diretamente na folha de pagamento ou benefício.

            Esta oportunidade gera uma menor porcentagem de taxa de juros, pois o risco de inadimplência é mais reduzido ao compararmos com outras linhas de crédito. Sendo assim, as taxas no mercado são mais atrativas a este público no serviço consignado.

            Entretanto, além do empréstimo consignado, é possível que já tenha sido oferecido a você a aquisição do cartão de crédito consignado, o qual se equivale ao comum na realização de comprar diversas, porém, caso não nos atentemos as contas, assim como qualquer outro cartão de crédito, pode nos gerar um transtorno considerável.

            Diferentemente do empréstimo, o cartão de crédito consignado é limitado a 5% do valor do salário do beneficiário, também debitados automaticamente da fatura no próximo mês, todavia, todo valor que exceder a margem dos 5% deve ser paga manualmente. Mas, como assim? Você me pergunta. É bem simples, se a margem permite o gasto de R$ 1,000.00 de nosso salário e utilizamos menos que isso, não há problemas. Há o débito e tudo está bem. Porém, caso utilizemos 1,300.00, por exemplo, estes trezentos reais excedentes devem ser pagos de forma manual pela fatura do cartão na instituição de origem, assim como se é pago os demais cartões de crédito.

            No caso de desatenção sobre este fato, o valor restante será debitado na próxima fatura, e, caso continuemos usando de maneira descontrolada, isto pode gerar um efeito “bola de neve” com multas e juros que são passíveis de comprometer nossa renda. Portanto, busque antes de utilizar o cartão consignado fazer umas continhas e conhecer o valor que pode ser gasto. Ademais, no caso de você souber o valor, mas as contas acabaram sendo excedidas, faça o processo de pagamento da fatura por aplicativos ou presencialmente para que não haja maiores problemas.

            “Admito, não conhecia o fato ou fui desatento e este efeito já está gerando dívidas além do que posso pagar. O que fazer?” Um dos procedimentos mais simples e efetivos para controle das contas é efetuar um empréstimo para realização dos pagamentos e voltar à estabilidade financeira. A margem consignável de 30% ainda estará disponível apesar do uso do cartão, e, lembrando, a taxa de juros neste modelo de serviço é muito menor comparada a outras linhas de crédito, então é perfeita para sair do negativo.

            Outra dica muito importante é, no momento de encontrar um empréstimo consignado, muitas vezes ficamos rendidos a juros abusivos na região em que moramos, porém, atualmente, a internet e o avanço tecnológico digital possibilitam que encontremos diversas instituições e possibilidades diferentes que cabem no nosso bolso. Por exemplo? Na Solução Crédito Online você pode simular os valores que pretende receber e saberá de forma transparente quanto irá pagar ao final, podendo executar o contrato do consignado pelo computador ou celular de forma simples e intuitiva.

            E então, você já se encontrou ou se encontra nesta situação? Se precisar de ajuda, não hesite em entrar em contato conosco pelas redes sociais ou telefone de atendimento disponíveis em nossa plataforma.