A Declaração do Imposto de Renda é uma realidade que está bem próxima de nós, tendo início já neste mês de março. Então organize os documentos, tenha os informes em mãos e continue por aqui para garantir mais algumas dicas de como evitar cair na malha fina da Receita Federal.

            Caso você esteja pensando em realizar o IR já ao início, saiba que é uma das melhores situações, pois, a restituição dos valores chega mais cedo a você, além de tempo o suficiente para readequar alguma papelada no caso de algum erro, pois o prazo máximo de entrega é datado ao fim do mês de abril.

            Neste ano de 2022, deverão pagar e declarar imposto de renda as pessoas que receberam acima de R$ 2.380 mensais ou R$ 28.559,70 anual. Inclui-se nesses valores: salários, aposentadorias, pensões e aluguéis.

            Vale lembrar que o IR de 2022 é referente sobre o ano-calendário (ou ano-base) de 2021, sendo assim, será preciso ter acesso a todos os valores e bens com relação ao ano passado apenas. Vamos então conhecer alguns pontos que devemos nos atentar sobre:

 

Vai declarar pela primeira vez?

            Não se preocupe, basta acessar o site Gov.br na aba destinado ao imposto de renda e utilizar sua conta do Governo Federal para fazer login. Os documentos necessários para a declaração serão: CPF, título de eleitor, dados residenciais e profissionais. Caso realize junto ao cônjuge será necessário ter o CPF do mesmo em mãos.

            Outra dica importante é, caso tenha investido ao menos uma vez em renda variável, no caso de ações ou fundos imobiliários, também será necessário declará-los, mesmo que tenha sido apenas o valor R$ 1,00. Até R$ 20.000,00 as movimentações são isentas de IR, porém, é preciso apresenta-las à Receita Federal.

 

 

 

E sobre dependentes financeiros?

            No caso de filhos ou dependentes, faz-se necessário relatar sobre os mesmos utilizando também os CPFs de cada um. As crianças a partir de 2017 já possuem CPF registrado na Certidão de Nascimento, mas em outros casos, é possível adquirir o documento pelo próprio site da Receita Federal ou em qualquer cartório de registro civil. Correios, agências da Caixa Econômica Federal ou Banco do Brasil também realizam o procedimento.

 

Informe de Rendimentos

            Todos têm direito ao informe de rendimentos para auxiliar na declaração, uma vez que esses se tratam de um extrato de todos os valores recebidos pela pessoa, seja ela: beneficiária do INSS, trabalhador em regime CLT ou público, investidor e afins.

            As empresas tiveram até o último dia útil de fevereiro para encaminhar os Informes de Rendimentos, porém, no caso de demissões ou saída, basta requisitar junto ao Recursos Humanos da empresa.

 

Já declarou em outros anos?

            Para facilitar a jornada, utilize uma cópia salva em seu computador ou outro dispositivo; o preenchimento de algumas informações será automático, principalmente com relação aos bens. Caso não tenha a cópia salva, é possível reivindica-la junto à Receita Federal no mesmo site da Declaração.

 

Organize bem recibos de saúde e despesas com educação

            As despesas médicas (consultas, internações, exames e planos de saúde) devem ter seus recebidos guardados por pelo menos 5 anos. Não está em primeiro plano como outras situações, mas no caso de alguma revisão necessária pela Receita Federal, esses documentos podem vir a ser cruciais, portanto, tenha reservado qualquer tipo de recibo, notas fiscais ou boletos que comprovem os serviços de saúde prestados pelas empresas ou clínicas.

            Quanto à educação, atividades extracurriculares, materiais escolares ou alimentação não se enquadram, porém, é necessário apenas a dedução de despesas relacionadas ao: ensino infantil, fundamental, médio, curso-técnico, ensino superior e pós graduação.

 

Vendeu ou comprou algum imóvel ou automóvel?

            Neste caso, busque contratos, escrituras, notas fiscais ou anote informações importantes como valores, quem comprou/vendeu e como foi realizado o pagamento. No caso de financiamentos, tenha acesso ao nome da instituição, número do contrato, montante, prestações e valor de entrada, pois todas essas informações devem estar detalhadas e descritas na declaração de bens.

            No caso de lucro sobre a venda, fique atento, pois o movimento financeiro deve ser informando pelo preenchimento do programa Ganhos de Capital (GCAP), pois o recolhimento desse documento deve ocorrer um mês após a venda, portanto não deixe de averiguar sua situação.

            Não efetuou venda, mas recebe aluguel de imóveis? Então é preciso recolher o que conhecemos por Carnê-Leão, o qual se trata de uma antecipação do Imposto de Renda do ano seguinte, que é destinado a trabalhadores autônomos e pessoas que recebem outro tipo de renda adicional. Lembrando também que este deve ser preenchido mensalmente. Para tanto, acesse o site da Receita Federal (Carnê-Leão) e siga as regras de preenchimento.

            Realmente são muitos os pormenores que existem quando falamos do Imposto de Renda, e, não é por menos que existem pessoas que contratam algum profissional em contabilidade para realizar o serviço, sendo assim, essa é a última dica. Caso não se sinta confortável em realizar a declaração por si só, ou mesmo esteja com pouco tempo para tal, buscar um profissional é a melhor opção.

            Quer receber mais ótimas dicas assim? Então não deixe de acompanhar as postagens da Solução Crédito Online.