A Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) do estado de Minas Gerais (MG) disponibilizou para a população uma cartilha sobre como evitar cair em golpes e fraudes relacionados ao empréstimo consignado.

         É fato que a tecnologia digital vem para auxiliar o quotidiano de todos nós, porém, por se tratar de um território relativamente novo, pessoas de faixas etárias mais altas têm dificuldade de utilizar e compreender sobre as possibilidades que atualmente têm ganhado grande atenção do público. A questão é que, antes já existiam golpes efetuados por pessoas de má fé, todavia, com a tecnologia também existe uma outra porta para ser explorada por estas pessoas.

         Sendo assim, tanto a educação financeira, quanto a educação digital deve ser incentivada pelas instituições bancárias e demais instituições relacionadas a credito, pois mais pessoas estariam utilizando as tecnologias que tornam nossa vida mais simples e ao mesmo tempo de forma segura, evitando serem vítimas destas situações.

         De acordo com os dados do Procon de MG, as finanças sempre foram as principais reclamações dos consumidores, o que se agravou durante o período da pandemia de coronavírus, uma vez que o mundo em geral, assim como todos os serviços, migrou ao digital, transformando a realidade das pessoas não nascidas nas últimas décadas que foram obrigadas a também migrarem para as tecnologias. O levantamento dos dados demonstrou que 38,88% dos atendimentos foram relacionados a isto.

         Portanto, tendo em vista a alta neste assunto, principalmente envolvendo o empréstimo consignado, o Procon (MG) lançou a cartilha intitulada como: “Empréstimo consignado: guia para não cair em ciladas”, oferecendo aos consumidores dicas de como reconhecer e evitar golpes financeiros.

         Não apenas em Minas Gerais, mas também em todo o Brasil houve aumento das reclamações referentes a golpes envolvendo os empréstimos consignados. Na plataforma consumidor.gov.br por exemplo, o aumento das ocorrências chegou aos patamares de 441% na categoria: “cobrança por serviço, produto não contratado, não reconhecido, não solicitado”. Ainda de acordo com dados do Banco Central, houve o aumento de aproximadamente 56% nos registros de reclamações na classificação “oferta ou prestação de informação sobre crédito consignado de forma inadequada.

         Outro ponto que conteve grande aumento nos dados do Sindec e publicados pela Empresa Brasil de Comunicação Central foram as reclamações referentes ao crédito consignado, cerca de 132%. Este valor foi determinado entre o mês de janeiro e setembro de 2021, utilizando como comparação ao mesmo período do ano de 2020.

         A Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) também sinalizou o aumento de golpes relacionados à aquisição de crédito durante este período de pandemia, demonstrando o aumento de 60% de fraudes na execução de créditos.

         O principal público que sofreu com esta transformação e com os golpes em geral foi o público idoso, aposentado ou pensionista do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), os quais acabam por ter descontos em seus benefícios de um empréstimo consignado nunca realizado ou permitido, sendo o golpe intitulado como: “golpe do falso empréstimo consignado”.

         Portanto, entende-se o porquê da cartilha e das movimentações das instituições financeiras e fintechs em alertar ao público geral, principalmente os idosos que podem ser considerados analfabetos digitais, a necessidade de reconhecer o que está acontecendo atualmente no mercado de crédito consignado e como evitar cair nestas fraudes.

Simule seu empréstimo consignado

De quanto você precisa?

Escolha um prazo:


Valor da Parcela:


Esta simulação é para aposentados e pensionistas do INSS. Para uma análise detalhada ou outras opções de valores e convênios, clique aqui, e envie sua proposta que nossos consultores entrarão em contato.


         Sendo assim, a Solução Crédito Online também separou algumas dicas de como evitar estes tipos de golpes:

1.    Verifique e conheça mais a fundo a empresa em que você pretende realizar o empréstimo consignado (pesquise a empresa nas redes sociais, o que falam sobre ela no google, se há pessoas falando sobre no Youtube e afins);

2.    Verifique se a empresa tem vínculo com instituições financeiras conhecidas e se a mesma segue as normas do Banco Central (é possível consultar no site do Banco Central se a empresa está listada como instituição oficial);

3.    Não faça depósitos ou transferências de valores antes de realizar o contrato do consignado, pois nenhuma instituição de confiança realiza este pedido;

4.    Caso seja abordado por um vendedor de empréstimo consignado, verifique se o mesmo trabalha na empresa que foi dito, entrando em contato diretamente com a instituição;

5.    Não aceite pagar mensalidades do empréstimo em contas de pessoas físicas;

6.    Verifique se o endereço da empresa corresponde com o endereço real (existe a possibilidade de utilizar o google mapas para realizar tal verificação);

7.    No caso de dúvidas, não passe dados pessoais e financeiros para contatos no WhatsApp, apenas após confirmado se o vendedor de crédito trabalha na empresa que diz;

8.    Verifique se as redes sociais e site da empresa são bem organizados e com informações contundentes.

         E então, caro leitor, o que você achou destas dicas? Por fim, não deixe de acessar a plataforma da Solução Crédito Online e verifique as melhores opções e menores taxas de juros do mercado disponíveis especialmente para você.